1ª câmara sul-mineira completa 220 anos de instalação

por adm publicado 26/12/2019 00h00, última modificação 20/04/2020 17h59

A Câmara Municipal da Campanha, primeira a ser criada no Sul de Minas Gerais, completa 220 anos de instalação nesta quinta-feira (26/12). A instituição funciona desde a época em que o Brasil ainda era colônia portuguesa e Minas, capitania. Atravessou todo o período de existência do Império brasileiro (1822-1889) e também todas as fases da República do país até hoje (1889-2019).

De acordo com o livro “Um Perfil de Minas Gerais – Volume 1” (1986), editado pelo governo estadual, no dia 26 de dezembro de 1799 “foi festivamente instalada a vila, erguido o pelourinho e eleitos os primeiros oficiais da Câmara: Manoel Jacinto Torres, capitão Manoel de Paiva Silva, João Antônio de Azevedo, com Manoel Ferreira da Costa Neves no cargo de procurador”.

Em sua obra “Cidade da Campanha: Monografia Histórica” (1972), o monsenhor José do Patrocínio Lefort registra que, no início do século XIX, a Câmara campanhense foi a primeira do Brasil a oferecer um terço da receita do Município à rainha de Portugal. Esse gesto político foi fundamental para a obtenção do título de cidade anos depois, segundo o pesquisador e ex-prefeito Ronald Ferreira.

No começo do século XX, destaca Ronald Ferreira, Campanha chegou a ter deputado estadual, federal e senador simultaneamente. Figuras importantes da política mineira já haviam sido membros da Câmara Municipal, como Bernardo Saturnino da Veiga e Joaquim Eloy Mendes (Barão de Varginha). Em 1976, Phynéas Vilhena Skau foi a primeira mulher eleita para integrar o Poder Legislativo Municipal.

Para saber mais sobre as funções da Câmara e as características da Campanha, assista aqui ao vídeo institucional produzido pela casa legislativa em 2019.